NOS PASSOS DE SÃO FRANCISCO

TEMA DO DIA: A GRAÇA DO BATISMO – CATEDRAL SÃO RUFINO

NA ESCUTA DA PALAVRA DE DEUS
Mt. 3,13-17
Naqueles dias, Jesus foi da Galileia até o Rio Jordão a fim de ser batizado por João Batista. Mas João tentou convencê-lo a mudar de idéia, dizendo assim: — Eu é que preciso ser batizado por você, e você está querendo que eu o batize? Mas Jesus respondeu: — Deixe que seja assim agora, pois é dessa maneira que faremos tudo o que Deus quer. E João concordou. Logo que foi batizado, Jesus saiu da água. O céu se abriu, e Jesus viu o Espírito de Deus descer como uma pomba e pousar sobre ele. E do céu veio uma voz, que disse: — Este é o meu Filho querido, que me dá muita alegria!

CONHECER SÃO FRANCISCO
O servo de Deus e amigo do Altíssimo, Francisco, teve este nome da providência divina, para sua originalidade e novidade se difundisse mais facilmente em todo o mundo a fama de sua missão. A mãe o havia chamado de João, quando renascendo da água e do Espírito Santo se transformou em filho da graça” (2Cel 3).
É o primeiro biógrafo do santo, Tomaz de Celano que nos transmitiu esta notícia, a única do batismo de João cujo nome mudou-se para Francisco, de Pedro Bernardone. O lugar do batismo foi a Igreja de Santa Maria Maior, mas o batistério no qual Francisco se transformou cristão foi depois transportado para a Catedral de São Rufino. Naquela fonte o filho primogênito de Pedro do Bernardone e da Pica nasce de novo da água e do Espírito.

REFLEXÃO
O Batismo de João era um convite ä confissão dos pecados e a conversão, e aquele que se apresentava não tinha pecado, era aliás, o Filho de Deus. Mas Jesus quis que se cumprisse a vontade do Pai, aquela de se entregar a morte na cruz para reparar todo pecado do mundo oferecendo a si mesmo em sacrifício do amor. Por isto se confundem entre os pecadores, e solidarizam com eles, para dar-lhes vida mediante a sua morte e ressurreição.
O Pai então proclama sua compaixão para o Filho obediente e o Espírito da nova criação desce sobre ele. E bem no final da sua missão terrena, Jesus dará aos apóstolos o comando: Andais e ensinais todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”. (Mt. 18,19).
Obediente ao comando do Senhor, a Igreja anunciará a sua palavra a todos os homens, batizando os que creem, mergulhando-os na morte de Cristo, para ressuscitar com ele.
Este prodígio da graça se renovou quando o pequeno Francisco foi levado a fonte batismal, conservado em São Rufino. Renasceu “d’água e do Espírito”(Gv3,3), ele inicia na Igreja o seu caminho de conformação em Cristo.
O mesmo mistério da graça aconteceu um dia também por nós, que fomos batizados, fomos imerso na morte de Cristo e ressuscitados como filhos do Pai, Templo do Espírito Santo e membros da Igreja.
Estamos conscientes da riqueza da graça da qual fomos agraciados? Como se desenvolveu em nós o germe da vida nova?

ORAÇÃO
Eterno Deus Onipotente, justo e misericordioso, concedei-nos a nós míseros praticar por vossa causa
o que reconhecermos ser a vossa vontade e querer sempre o que vos agrade, a fim de que, interiormente purificados, iluminados e abrasados pelo fogo do Espírito Santo, possamos seguir as pegadas de vosso Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, e por vossa graça, unicamente, chegar até vós, ó Altíssimo, que em Trindade perfeita e Unidade simples viveis e reinais na glória como Deus onipotente por toda a eternidade.