NOS PASSOS DE SÃO FRANCISCO

TEMA DO DIA: REDESCOBRIR A FAMÍLIA – IGREJA NOVA
Foi construída em 1615 no lugar ocupado pela casa paterna de São Francisco, do qual se conservam notáveis arquiteturas: as portas da entrada da loja no qual do santo guardava as suas mercadorias, a prisão, onde Francisco foi preso por ele.
Aqui nasceu Francisco de Pedro de Bernardone e da mãe Picca, em janeiro ou fevereiro de 1182, e transcorreu os primeiros 24 anos cheios de alegria e sonhos de glória, até o momento da sua conversão. A Igreja, recentemente restaurada, abriga obras de Giorgetti e Sermei.
A tradição segundo qual São Francisco estivesse nascido como Jesus em um curral é só uma antiga lenda, ignorado pelas antigas biografias do Santo.
Vizinho do convento dos frades menores sedia uma importante biblioteca franciscana, está unida a uma pequena mais significativo documentos do museu. Fundo de cimento antigo e raros: pelas, ícone, pinturas sobre o cobre e sobre o vidro, crucifixos; relicários em vidro jateado; e mostra de tecidos da liturgia antiga.

NA ESCUTA DA PALAVRA DE DEUS
Lc. 2,1-11
Naquele tempo o imperador Augusto mandou uma ordem para todos os povos do Império. Todas as pessoas deviam se registrar a fim de ser feita uma contagem da população. Quando foi feito esse primeiro recenseamento, Cirênio era governador da Síria. Então todos foram se registrar, cada um na sua própria cidade.
Por isso José foi de Nazaré, na Galileia, para a região da Judeia, a uma cidade chamada Belém, onde tinha nascido o rei Davi. José foi registrar-se lá porque era descendente de Davi.
Levou consigo Maria, com quem tinha casamento contratado. Ela estava grávida, e aconteceu que, enquanto se achavam em Belém, chegou o tempo de a criança nascer. Então Maria deu à luz o seu primeiro filho. Enrolou o menino em panos e o deitou numa manjedoura, pois não havia lugar para eles na pensão.
Naquela região havia pastores que estavam passando a noite nos campos, tomando conta dos rebanhos de ovelhas. Então um anjo do Senhor apareceu, e a luz gloriosa do Senhor brilhou por cima dos pastores. Eles ficaram com muito medo, mas o anjo disse: — Não tenham medo! Estou aqui a fim de trazer uma boa notícia para vocês, e ela será motivo de grande alegria também para todo o povo! Hoje mesmo, na cidade de Davi, nasceu o Salvador de vocês — o Messias, o Senhor!

CONHECER SÃO FRANCISCO
Francisco nasceu em Assis em 1182, filho de um conhecido e rico comerciante de tecidos finos, Pedro de Bernardone, e da senhora que se chamava Picca. Se conhece pouco de sua infância e da sua juventude. Com o passar do tempo se inventaram elementos legendários para servir como sinais de premunição da admirável vida dos santos, mas na realidade o seu nascimento e seu crescimento apareceu mais tarde e seria tudo esquecido, se a vida sucessiva do novo cidadão de Assis não fosse um homem totalmente evangélico.Cresceu em uma família privilegiada, mesmo não sendo nobre, foi associada ao trabalho do seu pai. As fontes biográficas o descrevem como um jovem brilhante, amante do luxo e das festas, com sonhos de glória, mas também generoso e bom.
Este é o Francisco que as ruas de Assis viram passar alegre e elegante.
Depois de poucos anos, segundo o desenho ainda escondido em Deus ouviram passar com outras vestimentas.

REFLEXÃO
Um dia eu também vim a luz. Me deram um nome, e cresci.
Por que existo? Quem sou eu? Que significado tem a minha vida?
Só a fé pode dar uma resposta a estas perguntas a qual não podemos e não devemos ignorarmos. E só a fé pode extrair o fato fundamental da minha existência na escuridão, da banalidade, ao sem sentido, a ilusão de uma esperança que vá além do confim inatingível da morte.
A fé cristã me convence que além das circunstancias das quais vim ao mundo, existo porque Deus me criou, por um ato eterno de amor me fez a sua imagem e semelhança, me doou talentos para fazer frutificar as obras do amor, me elegeu como o seu filho, e me destinou a alegria imensamente e eternamente no seu reino.
Como uma peça de um enorme mosaico, como uma nota de uma celestial melodia, estou no mundo para fazer a minha parte, para construí-lo e deixá-lo harmonioso. Atenção para não privar a terra com a minha obra que a embeleza para não ser uma voz desafinada na criação.

ORAÇÃO – espontânea