A liturgia católica é muito rica, dinâmica, com variadas possibilidades de ação e formada por Ciclos Litúrgicos, que acompanham os momentos mais importantes da vida de Jesus e conduzem para o encontro pessoal com Deus. Os frutos dependem da acolhida e da disposição do coração de cada pessoa. O cristão faz um caminho de espiritualidade que o eleva na vida de Deus.

Na trajetória da Páscoa, após vivenciar a vinda do Espírito Santo no dia de Pentecostes, agora temos a presença de Jesus no Pão Consagrado, tendo seu corpo presente na hóstia concreta da Eucaristia e adorado pela comunidade cristã na Festa de Corpus Christi. A presença de Jesus na terra continua de forma misteriosa e no confronto com as realidades do cotidiano.

A Eucaristia dá corpo e sentido para a comunidade cristã. Faz acontecer a Igreja que, por sua vez, é gerada por ela. Eucaristia e Igreja formam uma unidade e uma solidez na evangelização da sociedade. Não existe Igreja sem Eucaristia e nem Eucaristia sem Igreja. Mas não existe também Igreja sem Pentecostes, porque ela é guiada e conduzida pelo Espírito Santo.

Onde está Jesus Cristo, está o Espírito Santo e o Pai, mas também a Igreja. Nela, e através dela, recebemos a Santíssima Trindade, porque administra o Sacramento do Batismo e forma as pessoas para que coloquem em prática os compromissos batismais. As pessoas batizadas são fortalecidas pelo Sacramento da Eucaristia, porque são revitalizadas com a presença de Cristo Eucarístico.

No Ano do Laicato, o batismo deve ter uma evidência toda especial, porque ele acontece na invocação do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Faz com que o batizando se torne participante do sacerdócio de Jesus Cristo e se torne missionário, construtor do Reino de Deus nas realidades concretas da vida. Quem comunga da Eucaristia deve estar habilitado para evangelizar com o testemunho.

A Celebração de Corpus Christi acontece 60 dias depois do Domingo da Páscoa. Ela lembra que Jesus, em pleno período de sua Paixão, caminhando para a morte na cruz, na quinta-feira Santa, instituiu a Eucaristia. Nela temos a força do Espírito Santo que abre as mentes e os corações das pessoas para fazer seu encontro com os irmãos na comunidade cristã, percorrendo um caminho de fé e vida.

Por Dom Paulo Mendes Peixoto – Arcebispo de Uberaba (MG)