De Pentecostes em Pentecostes

De Pentecostes em Pentecostes!

Pouco antes da sua Ascensão Jesus avisa: "Eis que eu vos enviarei o que meu Pai prometeu. Por isso permanecei na cidade até serdes revestidos da força do alto" (Lc 24,49).
Partindo deste contexto percebemos que no decorrer da história da Igreja, nos mais diversos momentos, vemos alguma voz profética se levantar e pedir um novo Pentecostes. Na verdade, a Igreja só subsiste porque é sustentada por essa força do alto, o próprio Espírito Santo, que é a alma da Igreja.
Nós temos o Pentecostes histórico, afirmado na Bíblia em Atos dos Apóstolos, capitulo 2. Mas, ainda em outros livros do Novo Testamento, são citados vários momentos em que a presença do Espírito Santos causou conversões e confirmou a pregação dos apóstolos e a missão da Igreja nascente.
Não só, mas também por isso, continuamos celebrando Pentecostes a cada ano, para lembrar o acontecimento histórico e reafirmar a necessidade de um constante derramar-se do Espírito para renovar a face da terra, a vida da Igreja e o modo de pensar dos homens. É o Espírito Santo que traz novo vigor e juventude à vida e à missão da Igreja. É o Espírito Santo que nos direciona e nos esclarece a vontade do Pai. É o Espírito Santo quem suscita profetas, vocações e ministérios para que a mensagem do Evangelho alcance "...até os confins do mundo!" e, sem dúvida alguma, é o Espírito Santo que faz com que, jamais, "nos conformemos com a mentalidade deste mundo, mas transformemos pela renovação do nosso espírito" (Rm 12,2).
Se tudo isso é obra do Espírito Santo, está claro porque os bispos no Documento de Aparecida renovaram o clamor por um novo Pentecostes (cf. DA, 362). Se não for dessa maneira, não há a realização do Reino. Precisamos de cristãos cheios do Espírito Santo, capazes de ser discípulos e missionários no seu ambiente. Cada batizado possui em si o dom do Espírito, mas é necessário que, com a oração e a própria vida comunitária possamos colocar nossos dons e talentos, dados por esse mesmo Espírito, em proveito de toda comunidade e de toda sociedade marcada, hoje, pela tendência em colocar Deus fora de seus projetos e de seu ambiente. E a responsabilidade é toda nossa!
Nós, a Igreja militante, precisamos aderir cada dia ao chamado constante do Senhor para que sejamos testemunhas do seu amor e da sua ressurreição, e só faremos isso de forma eficaz se direcionados e sustentados pelo Espírito Santo.
É essa graça que renova, constantemente, as estruturas do nosso coração e dá aquele amor que nos impele a gastar a vida em prol do anuncio de Jesus. É essa graça que tirou o medo dos discípulos, tornando-os capazes de assumir a cruz e a perseguição com alegria, por serem achados dig-nos de sofrer pelo Evangelho. É essa graça que faz a Igreja ser viva e atuante no mundo, através de cada batizado, comprometido e fortalecido pela ação do Espírito Santo.
Celebrar Pentecostes é assumir a Missão de Jesus no hoje de nossa história, no chão de nossa vida e ser testemunha dessa luz que brilhará até os confins do mundo! E assim caminhamos, de Páscoa em Páscoa até a páscoa definitiva... de Pentecostes em Pentecostes até o encontro pleno com a graça do Senhor.

Ir. M. Valéria Luiz Gonçalves