Reflexões teológicas marcam o terceiro dia do 14º Intereclesial das CEBs

Nesta quinta-feira, 25, acontece o terceiro dia de atividades do 14º Encontro Intereclesial das CEBs, que acontece na Arquidiocese de Londrina, Paraná. O dia é dedicado à abordagem de temas teológicos em palestras, grupos e miniplenárias, e será encerrado com uma reunião dos Bispos com a Ampliada das CEBs.

O segundo dia do evento foi marcado pela reflexão analítica da atual conjuntura, realizada por Frei Betto. O religioso fez um panorama da política brasileira e falou da importância da preservação da memória histórica. Logo após Frei Betto, foi a vez do palestrante, Pedro Ribeiro, aprofundar questões relacionadas à derrubada do governo e das dimensões da crise ambiental e econômica que o país enfrenta.

Ribeiro abordou a questão das notícias falsas, tema da mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial das Comunicações Sociais divulgada nesta quarta-feira, 24, e a necessidade de conscientização dos fiéis, a partir da leitura da Palavra de Deus, acerca das lutas populares de erradicação da escravidão e da pobreza.

Raquel Rolnik conduziu a reflexão da história brasileira, das lutas urbanas pela transformação das cidades, e dos atos, que segundo a palestrante, desencadearam situações de construção da identidade brasileira. Uma ciranda abriu a tarde de ontem, com uma miniplenária sobre os “Desafios de acesso e participação da cultura e lazer”, mediada pelos artistas e produtores culturais ligados ao Movimento dos Artistas de Rua de Londrina (MARL).

A partir da contextualização histórica das políticas públicas para a cultura no país e relatos de autogestão na produção cultural, os integrantes do MARL levantaram alguns desafios do cenário brasileiro: desmonte das políticas públicas; precarização do trabalho artístico; desigualdade no acesso e produção dos bens e serviços culturais; mobilidade urbana; falta de infraestrutura e manutenção dos serviços públicos; e a descentralização da produção e acesso dos bens e serviços culturais.

Após colocações dos produtores culturais e artistas do MARL, os participantes dividiram-se em grupos menores para reflexões acerca desses desafios em suas comunidades. Valorizar as culturas regionais e da própria comunidade, além de propor que as manifestações culturais tomem iniciativa para buscar outros incentivos que não só o do Estado, foram alguns dos tópicos discutidos em alguns grupos.

No penúltimo dia do encontro, sexta-feira, 26, as Comunidades Eclesiais se focarão nas iniciativas e desafios do mundo urbano, com ênfase em motivações para ações regionais e nacionais. A programação desta sexta-feira, 26, será encerrada com uma celebração aos Mártires e Defensores da vida.

No sábado, último dia do 14º Intereclesial das CEBs, os participantes do encontro realizarão uma grande plenária sobre os assuntos debatidos ao longo dos dias e iniciarão os encaminhamentos para o 15º Intereclesial. A celebração de encerramento será de envio a todas as Comunidades Eclesiais.

Por Canção Nova, com Comunicação do 14º Intereclesial