Catequista, um “novo Ministério” para um anúncio sempre novo: Jesus Cristo te ama!

O catequista tem um papel tão importante na comunidade paroquial que o Papa Francisco, no dia 10 de maio deste ano, instituiu o Ministério de Catequista. Além de uma responsabilidade maior, é o reconhecimento do valor deste serviço que não pode estar à margem. O Papa convida a renovar o olhar e o interesse pela formação dos novos cristãos na comunidade eclesial.
“Antiquum ministerium” (do latim: ministério antigo) é o nome do “Motu proprio” com o qual Papa Francisco institui o Ministério do catequista. “Motu proprio”, é um ato oficial desta decisão tomada pelo Papa, que dá maior relevo e importância ao papel do leigo na Igreja. De agora em diante, este Ministério pode até ser recebido com um ato litúrgico presidido pelo Bispo, depois de uma adequada preparação.
A catequese é um serviço muito antigo. O Novo Testamento relata sobre pessoas que desenvolvem esta tarefa de primeira importância na comunidade, conduzindo muitos no caminho de experiência de fé em Cristo ressuscitado. A comunidade cristã cresceu ao longo da história porque catequistas anunciaram e testemunharam até com a própria vida sua fé no Cristo ressuscitado. Os catequistas são força generosa ainda hoje em nossas comunidades quando educam à fé.
Ser catequista é um verdadeiro chamado, uma vocação à evangelização, é anunciar o Reino de Deus, seguindo Jesus Cristo. A catequese deve ser sempre inculturada, significativa, lá no lugar onde está sendo transmitida, pois fé e vida não podem estar separados na vivência cristã. Dentro do contexto onde estamos, deve ressignificar a vida de quem ouve o anúncio, transformando-o em construtor da fraternidade.
“Este é o momento – disse o Papa Francisco – de ser artífices de comunidades abertas que sabem valorizar os talentos de cada um. É o tempo para as comunidades missionárias, livres e abnegadas, que não procuram relevância nem vantagem, mas que percorrem os caminhos do povo do nosso tempo, inclinando-se sobre os que estão à margem”.
Esta é a beleza de uma missão insubstituível na transmissão e aprofundamento da fé, é a beleza do anúncio sempre novo do amor misericordioso do Filho de Deus, é a beleza e importância do Ministério do catequista na comunidade paroquial.
Ir. Solange A. Novaes

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
X