“Eu não tenho nenhum mérito, nem diante de Deus e nem diante dos homens, por isso rezem bastante, bastante, bastante pra mim.”

Desceu então a Cafarnaum, cidade da Galileia, e ali os ensinava aos sábados. Todos ficavam maravilhados com sua doutrina, porque falava com autoridade. Estava na sinagoga um homem possesso de um demônio impuro, que se pôs a gritar com voz forte:  “Ah! que temos a ver contigo, Jesus de Nazaré? Vieste para nossa perdição? Eu sei quem tu és: o Santo de Deus!”  Mas Jesus o repreendeu, dizendo: “Cala-te e sai dele”. Então o demônio, jogando o homem ao chão no meio de todos, saiu dele sem lhe causar mal algum. Todos ficaram cheios de espanto e perguntavam uns aos outros: “Que significa isto? Ordena com autoridade e poder aos espíritos impuros e eles saem!” E sua fama se espalhava por todos os lugares da região.  Podemos afirmar que a sua autoridade vem de si próprio, pois ele é Deus, mas o povo não sabia disso. O povo percebe a autoridade de Jesus a partir da coerência entre a sua pregação e a sua vida, compromissada com os pobres, necessitados e oprimidos, numa constante e vitoriosa luta contra todo tipo de mal. Beata Catarina Troiani vivia a sua missão sendo submissa a autoridade de Cristo nu crucificado e sendo sempre fiel a sua palavra, fazendo com que as pessoas ao seu redor conhecessem o imenso amor de Deus por todos através de seus atos de compaixão e caridade plena para com os menos favorecidos. Dessa forma ela passava aos outros que Deus comandava sua vida e que seus atos eram para elevar o Santo Nome do Senhor.

X