“…Porque sois a bondade por essência, o meu Salvador, o meu Redentor, o meu Médico, o meu Conforto, o meu Guia, a minha Força, toda minha Consolação, o meu Pai, o meu Irmão, o meu Esposo, o meu Tudo”

“…Porque sois a bondade por essência, o meu Salvador, o meu Redentor, o meu Médico, o meu Conforto, o meu Guia, a minha Força, toda minha Consolação, o meu Pai, o meu Irmão, o meu Esposo, o meu Tudo”

Lc 5,33-39

Então lhe disseram: “Os discípulos de João jejuam com frequência e fazem orações, como também os dos fariseus; os teus comem e bebem!” Respondeu-lhes Jesus: “Acaso podeis obrigar a jejuar os convidados do noivo enquanto o noivo está com eles? Mas virá o tempo em que o noivo lhes será tirado, e então neste tempo eles vão jejuar”. Apresentou-lhes ainda esta comparação: “Ninguém corta um retalho de roupa nova para remendar uma roupa velha; pois terá cortado a nova, e o remendo não vai combinar com a roupa velha. Como também ninguém põe vinho novo em odres velhos; pois o vinho novo arrebentará os odres e se derramará, ficando os odres inutilizados. Mas o vinho novo se coloca em odres novos. E ninguém, depois de ter bebido o vinho velho, deseja o novo; pois ele vai dizer: “O velho é que é bom!”

Beata Catarina Troiani sempre jejuava como forma de agradecer a Deus por todos benefícios que recebia e através da oração e da comunhão diária ela sabia que as forças não lhe faltaria para cumprir sua missão. E a cada criança que ela resgatava das garras da incompreensão e do abandono ela sentia que estava caminhando seguindo a vontade do Pai Eterno e por isso mesmo não precisava se preocupar com o dia de amanhã. Apenas ela colocava sempre a intenção solene de que amanhã seria melhor que tinha sido hoje, uma forma de nos dizer que podemos sempre melhorar e nos aprimorar em qualquer missão que Deus tenha nos dado.

X